quinta-feira, 1 de outubro de 2009

S.A.G - parte 1/2




"Me chamo Aline* e tenho 22 anos, ano passado eu fui fazer o meu tão sonhado intercâmbio para Montreal, nos meus primeiros 19 dias eu ja tinha feito alguns amigos. Enfim chegou o dia 25 de dezembro para alguns é um dia maravilhoso para se passar com aqueles que você ama e tudo mais porem no meu caso eu estava sozinha a milhares de km de distância dos que eu amava, porém como eu não era a única nessa situação, resolvemos reunir todos os amigos e ir para um bar comemorar o natal. Fui a primeira a chegar e fiquei no bar bebendo uma cerveja e vendo Simpsons, o bar estava quase vazio, numa mesa tinha um cara muito bonito. Passados 20 minutos que eu estava lá nenhum dos meus amigos haviam chegado e esse cara resolveu perguntar se eu não queria conversar e começamos a conversar, acabamos ficando e desde esse dia nunca mais nos separamos. Eu passei os melhores 2 meses e meio da minha vida, durante esse tempo eu tinha todas as mordomias possíveis,ele cozinhava pra mim,tinha a chave da casa dele, a senha do banco, conheci os pais dele, dormiu na minha casa e nós viajamos juntos para passar um fim de semana em NY. Porém nas 2 ultimas semanas da minha estada lá algo aconteceu: a camisinha estourou, tomei a pílula do dia seguinte porém o resultado do exame deu positivo, eu estava grávida. Nós resolvemos ter bebê. Ele tinha seus 28 anos, um emprego estável, casa e carro próprio. Dinheiro não seria o problema. O problema era a distância. Chegou dia da minha vinda para o Brasil e como era de se esperar chorarmos muito.
Na minha primeira semana no Brasil eu chorava de saudades, nós nos falavamos todos os dias por telefone, e-mail, msn e skype. Na segunda semana a mesma coisa foi assim até o 2 mês onde nós resolvemos que não estava mais dando certo um namoro a distância, eu inconformada aceitei, porém ele disse que ainda estaria do meu lado com relação ao bebê, eu fiquei um pouco menos preocupada."

Relacionamentos a distância nos dias atuais é bem comum, que atire o primeiro comentário quem nunca gostou de alguém que estava longe e teve que controlar toda a saudade e tudo mais.
E, histórias assim são tão românticas e ao mesmo tempo tão drásticas. Embora todos os meios que o homem criou para encurtar a distância, nada como aquele contato e aquele olhar único [sim, todos nós somos únicos, seja no modo de olhar, sorrir, falar..enfim].
Mas devemos nos perguntar até que ponto é amor de verdade? se estamos dispostas a largar tudo por conta de um amor? e podemos perceber que ele não tem muito a perder, já que largou tudo para sair pelo mundo cantando e dançando e sendo livre como uma gazela espavorida num trailer, ele poderia ter feito o mesmo por você. Então outra pergunta, analise se ele te ama de verdade ou mesmo pergunte se ele te ama de verdade. Por que existem loucuras que só fazemos quando amamos de verdade.

Bem, ajudem a Aline, deixando seu comentário sobre a linda história de amor a distância, que tem parte 2 e nós poderemos ajudá-la a dar um rumo a história [embora só ela possa decidir como terminar, né?]

* os nomes foram mudados e vocês já sabem o porquê.

comoperderaquelagarota@gmail.com

13 comentários:

Lari disse...

aiii muito triste . mas é assim namoro a distancia é dificil mas não acho impocivel , eu a 1 mês atraz namorava a distancia , namoramos 1 anos mas quando não deu mais pra aguentar aquela distancia ele tomou uma desição que eu nunca iamginei que ele tomaria , ele largo tudo , pra vir morrar na minah cidade e hoje estamos felizes e tudo deu certo

Iris Gimaiel disse...

Sua historia parece de filme. Não consigo imaginar o quanto você está triste, e eu desejo que você melhore e que um dia olhe pra trás e dê risada de tudo o que aconteceu, ou então que não fique triste.

Fernando Lana disse...

pra mim a melhor solução era dois verem se realmente se amam e se a resposta for sim se casarem por que ae ficaria mais fácil tanto pra ela ir morar no Canadá quanto pra ele vir morar no Brasil.

Minha irmã passou por esse lance de relações a distância... e no mês passado ela se casou com o gringo

M. disse...

mto triste!!!

+ vem cá, será q ela ñ pode mudar de vez pra monstreal? tipo o cara acho q ñ dá pq ele já tm a vida feita, mas e ela?

sabe, tm um bebê pra cuidar e talz...

Bem, bom sorte pra Aline bjus

Twittando a Vida disse...

oLÁ.
jÁ NAMOREI ..PELA INTERNET...APESAR DE JAMIAS NÓS CONHEÇERMOS E ...O SENTIMENTOS QUE TINHAMOS ERA BEM FORTE.
pODERIA TER FEITOS LOUCURAS , MAS ANALISEI MUITO BEM A QUESTÃO É VI QUE NÃO COMPENSAVA
hOJE , SEI QUE ..O AMOR PODE SER VÊ E SENTIR DE VÁRIAS MANEIRAS FÍSICAS OU NÃO.

No seu caso vi que foi uma fatalidade do destino e diria que um terá que ceder, caso queiram viver juntos e cuidar do bebê juntos!
Fale muito bem com ele e vejam ..qual dos dois tem a disponilidade de sair do país e tomar esta decisão.Caso de tomarem a decisão de num estarem ao lado do outro .. não tem escolhe ..se não a saudade, mas lembre-se que o tempo é sempre o maior conselheiro e remédio de tudo, mas acompanhada com a nossa vontade própria em mudar algo.

Espero tenha lhe ajudado^~
abraços
Aline Janice

flávia disse...

deve ser difícil mesmo,eu nunca passei pela situação,
bjus

Heloísa Vilela disse...

Sei lá cara. Eu sou um pouco realista demais, acho meio difícil uma relação com a distância de hemisférios dar certo. A não ser que o amor seja muito forte mesmo, daí vale a pena correr atrás do amor. E outra, vcs tem um bebê, não dá pra simplesmente um apagar o outro da vida.

Beijos

Babado de menina, disse...

Oiii!!
Eu acho mto importante ter "contato" numa relação., quando não se tem vira virtual né?
beijão!;***

wcastanheira disse...

Querida saber se alguém nos ama por questionamentos é quase impossível, pois até emoções podemos falsificar, temos o dom da arte, agora namoro à distãncia, dói, aperta o coração, mas pode dar certo, namorei minha esposa por carta, veja só, eu em Santos e ela em Rio Grande RS, em 1980, celular? oq é isso?, Telefone onterestadual era caríssimo, então dá-lhe carta uma semana vai, noutra as vezes voltava, viajar de avião tb era caro ia ao RS 2 vezes por ano, foi assim por dois anos, resolvi vir prara este Rio Grande lindo, acolçhedor, frio só na temperatura, temos hoje nosso lindo fllho com 23 anos e 25 anos de de casados, deu certo? Não sei, está dando, acredite querida se há amor ele resiste distancia, mto emvbora seja frágil às ausencias, nem sempre medidas em km, seja FELIZ, AME bjos, bjos, bjosss

little dreamer disse...

nossa...historia linda! to impressionei. Devorei ela do começo ao fim. Vc escreve mto bem. Bjs da sua mais nova seguidora¨*-*

little dreamer disse...

quase esqueci de comentar. Namoro a distancia é cmg msmo. Eu adoro uns kilometros de distancia. Posso falar por experiencia propria do qnt é complicado. Vc ainda pode te-lo por perto, ja eu, nem todas as tive a chance sequer de ver :S

Lua disse...

Nossa que dificil! E o pior de tudo é ela ta gravida. Namoros a distancia é complicado demais realmente.Mas se for amor acho que no fim da certo!

E quero saber o desfecho dessa hisotira, beijos.

Soraya Alves disse...

Dificil a história dela...Grávida, sozinha...
Eu não vejo a hora de saber o desfecho dessa história, beijos.